Prefeitura Municipal

de Palmares Paulista-SP

Última Atualização do Site:
19/09/2017 08:46:21





Histórico

Data de fundação: 25 de março de 1935

Data da criação do município: 08 de dezembro de 1964

Instalação do município: 28 de março de 1965

Padroeira do município: Nossa Senhora Imaculada Conceição



Área: 91 Km2

Altitude: 580 m

Limites: Catanduva, Pirangi, Paraíso e Ariranha



Rodovias: Anhanguera - SP 530 ; W. Luís - SP 310 ; Com. Pedro Monteleone - SP 351



Distância da Capital: 480 km



Atividade Econômica: Cultura Agrícola



Dois foram os períodos de sua evolução histórica: Palmares Antigo, abrangendo o Arraial do Cordão Escuro (de 1892 a 1907), o distrito de Palmares (de 1908 a 1944), o distrito de Jaguatei ( de 1944 a 1958) e o distrito de Palmares Paulista (de 1958 a 1965); de Palmares Moderno, da instalação do município de Palmares Paulista, em abril de 1965 até os dias atuais.



O MUNICÍPIO



A 1ª de abril de 1965, instala-se solenemente a Prefeitura Municipal de Palmares Paulista, num prédio próprio da manutenção, à rua 15 de Novembro nº 575, com a presença de Octávio Juliatti, Prefeito; Raul de Carvalho, Presidente da Câmara e dos seguintes vereadores: Amílcar Roveri, Antônio Humberto Gomieri, Luiz Michelan, Renato Baisso, José Gomes Dias, Vicente Ângelo Antignani, Olívio Nogueira, Ítalo Ruiz Schettini, além do Tabelião, Francisco Giglio e outros munícipes.



Nesta época, mais precisamente de meados dos anos 50 a meados dos anos 60, a vila de Jaguatei estava dando sinais de recuperação e parecia estar superando a fase terminal de completo desaparecimento. Pelo censo de 1960,



ela já estava com 620 habitantes ( ao invés de 198 do censo de 1940), porém a população rural havia caído pela metade: 2.148 (4.111 habitantes pelo censo de 1940). O aumento populacional da zona urbana, por certo, foi incrementado pela ligação da força e luz ao sistema estadual de eletricidade



e pela instalação da Usina Açucareira “Catanduva”, nos limites do distrito em divisa com o município de Ariranha, do qual ainda dependia político- administrativamente.



Quando se ordenou o processamento da municipalização do distrito, que passou a denominar-se em caráter definitivo, Palmares Paulista, comentava-se abertamente que não havia condições legais mínimas para a sua efetivação; mas, ainda sob os efeitos do populismo crescente, tudo era permitido em termos eleiçoeiros. Por isso, custou muito caro à população do distrito a criação do município. Extensa área do território rural foi anexada ao município de Catanduva, reduzindo-se ainda mais as suas exíguas fontes de rendas. Aliás não se criou o município de Palmares Paulista visando o bem-estar de sua população, porque nasceu sem condições de arrecadar, direta ou indiretamente, o suficiente para se manter e incapaz de suprir os legítimos interesses dos munícipes quanto à saúde, educação e segurança. Nasceu o município deficitário e deficitário se desenvolveu (sem verbas e plano diretor) a mercê do auxílio financeiro tanto do poder estadual como do governo central.



Avalia-se, agora, o esforço tenaz e perseverante de uma sucessão de prefeitos e auxiliares à busca de verbas nas ante-salas do Palácio do Governo para atendimento das necessidades básicas da população carente: água encanada, rede de esgoto, asfaltamento, postos de saúde, escolas do 1º e 2º graus, delegacia de polícia, destacamento policial-militar, telefonia, etc., etc., que foram conseguidos, paulatinamente, ao longo do tempo.

Palmares Paulista,
Busca

NEWSLETTER

Cadastre-se e receba boletins informativos por e-mail.
Clique aqui para se cadastrar.