Circuito Cultural Paulista/Junho 2018

Palmares Paulista TF StyleExisto. E, na pele, minha existência concretiza-se em constante relação entre corpo e ambiente, corpo e cidade. Aprisionado, a pele determina meu espaço, delimita minha existência íntima, separa-me do ambiente externo. Quais sensações meu corpo percebe potencializadas pela cidade? Quais opressões, medos e angústias o ambiente urbano me proporciona? Uma navalha que me corta todos os dias, deixa rastros em minha pele e traz, veladamente, suas marcas enrugadas pelo tempo. Maior órgão do corpo humano, local do toque, da pressão, da sensibilidade, do suor, do cheiro, do prazer… A pele: um relicário sagrado. A pele: uma clausura terrificante. Ao nascer, preencho meus pulmões de ar e, ao morrer, dou minha última expiração. Na pele, uma impressão digital que constitui este ser. Mas quem sou eu? O que a cultura faz de mim? Como lido com as sensações que esta cidade me causa? Esta obra busca refletir sobre as várias percepções sentidas, profundamente, sob a pele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *